Deputado estadual Gilberto Ribeiro se filia ao PRB

Curitiba (PR) – O deputado estadual Gilberto Ribeiro se filiou a Partido Republicano Brasileiro (PRB) nesta quarta-feira (24). O novo republicano teve a ficha de filiação abonada pelo presidente do PRB Paraná, Fábio Santos. Ribeiro deixa o PSB para tornar o PRB ainda mais forte e representativo no Estado, sendo o primeiro deputado paranaense a aproveitar a janela de transferência, que se iniciou em 18 de fevereiro.

“O PRB Paraná tem uma nova proposta para o Estado. Por isso, precisamos de novos nomes em nosso partido, pessoas que realmente queiram fazer a diferença e queiram lutar por um Paraná melhor, com mais igualdade, inclusão e desenvolvimento”, comentou Fábio Santos.

Considerado o representante do povo na televisão, Gilberto Ribeiro conquistou uma cadeira na Assembleia Legislativa do Paraná pela primeira vez em 2010, sendo reeleito em 2014 com mais de 76 mil votos. O novo republicano tem uma atuação firme e segura em todas as cidades que fazem parte da Grande Curitiba, especialmente nas questões voltadas à segurança pública, uma de suas preocupações há mais de 30 anos.

Ao comentar sobre o novo desafio, Ribeiro se diz empolgado e feliz com sua filiação ao PRB. “Desde o início da minha atuação parlamentar como deputado estadual, sempre tive a companhia os conselhos e o apoio do deputado republicano Edson Praczyk, a quem eu chamo antes e acima de tudo de amigo. Agora, juntos, no mesmo partido, espero dar minha parcela de contribuição para que o PRB continue na reta de crescimento”, comentou.

Participaram do ato de assinatura da filiação o deputado estadual Edson Praczyk (PRB-PR), o secretário-geral Osias Moraes e o ex-deputado federal Oliveira Filho (PRB-PR).

Entre os dirigentes da sigla no Paraná, a vinda de Gilberto Ribeiro para o PRB, traz não só uma força extra, mas também a figura carismática de um parlamentar combativo, antenado com os problemas diversos enfrentados não só em Curitiba, mas também em todos os municípios da Região Metropolitana, que são os principais pontos de atuação de Gilberto.


Texto: Ascom – PRB Paraná

Fotos: Derli Júnior

 

I Encontro de Presidente Municipais PRB Paraná

O Partido Republicano Brasileiro do Estado do Paraná, realizou nesse sábado (13), o 1ª Encontro de Presidentes Municipais do estado, reunindo mais de metade da Executivas Municipais, bem como, seus presidentes e membros.

O Encontro foi pautado na importância de unidade partidária e também teve como tema central as eleições de 2016, onde o partido se encontra mobilizado para cumprir as metas já estabelecidas nacionalmente.

Em seu discurso, o presidente estadual, Fábio Santos, destacou da importância de trazermos e fazermos crescer a militância e a participação dentro dos movimentos partidário._DSC6366

Fábio Santos fez um discurso coeso que trouxe uma realidade mais próxima à sociedade atual, houve uma significante evolução no relacionamento com os coordenadores, a orientação foi para que as atitudes de cada executiva municipal levem em conta o bem do povo Paranaense: “Nosso partido precisa fazer a diferença, não queremos ser melhores que os outros, mas queremos ser diferentes do que tem sido proposto e mudar a história política do nosso Estado” completou.

A importância de fazer o PRB Paraná crescer no pleito deste ano, também foi explanada pelo presidente. A meta já está traçada, e os presidente municipais devem se esforçar ao máximo para cumpri-las, construindo uma chapa forte e com chances de vitória. O resultado dessa eleição é fundamental para que o PRB alcance o planejamento de longo prazo e assim possa consequentemente aumentar cada vez mais seu quadro de filiados e representantes não só nas esferas municipais e estaduais, mas também na esfera federal onde o PRB vem se consolidando cada vez mais, expandindo sua representação na Câmara e assumindo postos importantes no governo.

Assuntos internos também foram discutidos, mostrando a importância do funcionamento efetivo das Executivas. As orientações Administrativas, Financeiras e principalmente jurídicas, nas mudanças da Lei dos Partidos Políticos e Código Eleitoral, foram a base da primeira etapa do encontro.

_DSC6240 _DSC6273
_DSC6341 DSC9108

Confira todas as fotos na galeria do PRB Paraná

Texto: Ascom PRB Paraná
Fotos: Derli Junior/Alaor Oliveira

Praczyk está entre os quatro deputados que foram a todas as sessões de 2015

Apenas 7,4% dos 54 deputados estaduais compareceram a todas as sessões ordinárias realizadas na Assembleia Legislativa (AL) do Paraná em 2015. Felipe Francischini (SD), Gilberto Ribeiro (PSB), Pastor Edson Praczyk (PRB) e Tercílio Turini (PPS) registraram presença nas 123 plenárias deliberativas que ocorreram entre 1º de fevereiro e 16 de dezembro na Casa. O levantamento foi feito pela FOLHA, a partir dos dados disponíveis no Portal da Transparência.
Em seu segundo mandato consecutivo, Ribeiro acaba de completar a marca de cinco anos sem perder um dia sequer de trabalho. Praczyk e Turini também já tinham ficado bem colocados no ranking de 2014, com 98,23% de comparecimento cada. O único novato entre os campeões de assiduidade é Francischini, de 23 anos, que ingressou na vida pública na esteira do pai, o deputado federal e ex-secretário de segurança Fernando Francischini (SD). Curiosamente, os quatro fazem parte de partidos minoritários na AL, aglomerados em blocos.
O Legislativo estadual contabilizou, no total, 499 faltas nos 11 meses em que aconteceram votações, sendo 417 delas justificadas. O índice de presença, de 92,52%, é melhor do que o verificado no ano anterior, de 85,07% (910 ausências). Naquela ocasião, eventos como a Copa do Mundo e, principalmente, as eleições acabaram atrapalhando o desempenho de alguns políticos. Desta vez, o mês em que os deputados mais perderam sessões foi maio – 63, de 559 (somados todos os parlamentares), o que corresponde a 10,61%.

JUSTIFICATIVAS
Quatro argumentos são aceitos pela Mesa Executiva para abonar faltas: doença, com apresentação de atestado médico; viagem acompanhada do governador do Paraná; evento com ministro de Estado fora de Curitiba e representação da Assembleia, por indicação do presidente, hoje Ademar Traiano (PSDB). Em tese, nas demais situações os deputados têm descontado 1/30 (um trinta avos) de seus salários (R$ 25,3 mil), representando aproximadamente R$ 830 por falta.
O artigo 60 do regimento interno da Casa, porém, autoriza o chefe da AL a desconsiderar uma ausência não justificada por mês de cada deputado, mediante requerimento. Os motivos alegados não constam no Portal da Transparência. Também não são passíveis de punição os casos em que os parlamentares só chegam ao plenário no momento da análise da ordem do dia (a pauta), ou seja, depois de esgotadas as discussões. As sessões ordinárias costumam acontecer de segunda a quarta-feira, a partir das 14h30. Em muitas vezes, contudo, a votação só se inicia perto das 17 horas, após as lideranças subirem à tribuna e discursarem sobre os mais diferentes assuntos.FALTAS
Luiz Carlos Martins (PSD), com 35 ausências; Jonas Guimarães (PMDB), com 28; e Plauto Miró (DEM), com 23, lideram a classificação dos mais faltosos. O primeiro enfrentou problemas de saúde, enquanto os outros dois ocupam cargos na Mesa Executiva, de 1º Vice-Presidente e 1º Secretário, respectivamente. Em seguida, aparecem Paranhos (PSC), que também apresentou atestado médico para a maioria de suas 20 faltas; Palozi (PSC), com 18 ausências; e Cantora Mara Lima (PSDB), com 17 (13 abonadas).
Chama a atenção, ainda, o número de parlamentares que não compareceram a plenárias, sem apresentar explicações. É o caso de Tiago Amaral (PSB), que perdeu 14 sessões no ano; dez delas injustificadas. Ele se casou no dia 22 de maio, em Londrina, e em seguida partiu para uma viagem de lua de mel. “Estava com o casamento marcado há muito tempo e não tinha o que fazer. Meu salário será descontado, em virtude de uma situação específica”, ressaltou, em agosto, à FOLHA. Completam a lista Maria Victoria (PP), com 16 faltas (somente 8 justificadas); e Pedro Lupion (DEM), com 14 (6 justificadas).

Mariana Franco Ramos
Reportagem Local/Folha de Londrina

Comenda da Polícia Militar é motivo de orgulho

A manhã desta quinta-feira (29) marcou para mim uma data muito importante, deputado Edson Praczyk foi homenageado pela Polícia Militar do Paraná com uma Comenda que comemora o aniversário de 15 anos do PROERD- Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência, um dos mais fantásticos programas educativos desenvolvidos pela PM do Paraná e que em seus 15 anos, já formou mais de 1 milhão e 400 mil alunos de escolas paranaenses.

A bela solenidade, realizada no Salão de Atos do Palácio Iguaçu, fez uma linda homenagem aos criadores do Programa, idealizado aqui no Brasil no ano 2000, e que teve sua primeira experiência em Matinhos no litoral do Estado, se expandindo posteriormente para todo o Paraná, se tornando um dos mais importantes programas de prevenção ás drogas e à violência do país, mostrando às crianças e aos adolescentes de várias idades a importância de se manter longe das drogas, lícitas e ilícitas e longe também da marginalidade.

As palavras do comandante geral da PM, coronel Maurício Tortato, que frisa sempre que este é um caminho de aperfeiçoamento social e uma cultura de paz, e que essa prevenção primária irá repercutir num futuro muito breve.

“O fato de ter sido escolhido como ‘padrinho do PROERD’ é para mim motivo de muita satisfação, pois desde o começo incentivei as ações do Programa, procurei me inteirar de sua importância, e abracei a causa por ver nesta ação da PM um caminho sem igual no combate às drogas, fato que pude comprovar em dezenas de depoimentos de crianças e jovens atendidos e também dos policiais envolvidos neste belíssimo exemplo de amor ao próximo e cidadania, o que torna todos os policiais militares que já participaram e ainda participam do Programa, verdadeiros heróis e merecedores de todas as homenagens a eles prestadas na manhã de hoje”, completou Praczyk.

Lei que proíbe Cheque Caução completa 15 anos

Uma das leis mais importantes dentre as mais de 70 de minha autoria do deputado estadual Edson Praczyk, completa neste dia 25 próximo 15 anos de vigência, beneficiando milhares de pessoas em todo Estado, e que inclusive serviu de modelo para leis semelhantes implantadas em outros estados brasileiros.

A Lei Estadual 12.970/2000, que proíbe a cobrança de “cheque caução”, como condição para internamento e tratamento de pacientes, em hospitais públicos ou particulares em todo estado do Paraná, lei que, além de criminalizar a exigência do cheque para internamento de pessoas em situação de emergência com risco de morte, obriga também todos os estabelecimentos hospitalares a afixarem em locais de fácil visualização, uma cópia do seu teor por inteiro, para que todos saibam já na entrada do hospital ou clínica, que existe a lei e que ela deve ser cumprida.

O não cumprimento da lei, implica em multa e outras sanções, inclusive a devolução em dobro do valor cobrado ou pedido pela instituição no ato da consulta. Apesar da fiscalização em torno do cumprimento da lei, houve um caso emblemático, ocorrido em maio do ano passado, quando um determinado hospital de Curitiba teria exigido um depósito prévio de 65 mil reais para que, uma criança de apenas 47 dias de vida pudesse ser atendida.

A morte do menino que ocorreu durante o período de espera para seu internamento numa UTI neonatal, me fez solicitar uma fiscalização ainda maior para saber se a Lei Estadual estava sendo cumprida ou não, pois nestes 15 anos de sua existência, há também inúmeros relatos de sua eficácia, com familiares de pessoas em situação de risco relatando a tentativa de cobrança da consulta, mas diante da exposição da lei, os responsáveis pelo atendimento voltaram atrás e o internamento pode ser realizado sem o pagamento de qualquer quantia.

A necessidade de exposição do cartaz com o teor da lei, é uma das obrigações das instituições hospitalares, pois apesar de toda repercussão e benefício causado pela lei, ainda existem muitas pessoas que não sabem de sua existência e dos direitos que ela faculta a toda população. Por isso, fica o alerta para que as pessoas quando se encontrarem numa situação desta natureza, façam valer o seu direito de não pagar por uma consulta ou internamento, sendo o estabelecimento médico, privado ou particular.

Texto: Ascom Dep. Edson Praczyk
Edição: Ascom PRB Paraná

11 anos de uma lei que já salvou milhares de vidas

Uma das leis mais importantes ligadas à saúde e que serviu e serve ainda de modelo para várias cidades e estados do país, comemorou no mês de junho de 2015, exatos 11 anos de existência, com a certeza de ter salvado milhares de vidas em todo o estado do Paraná.

A lei 14.427, de autoria do deputado estadual Edson Praczyk- PRB foi sancionada em 07 de junho de 2004 pelo então governador Roberto Requião,entrando imediatamente em vigor, dispondo sobre a obrigatoriedade de manutenção de desfibriladores automáticos em locais públicos ou privados com grande presença de pessoas, além de pessoal treinado no manuseio do equipamento.

A partir de junho de 2004, aeroportos, estádios de futebol, shoppings, centros de eventos e exposições, hipermercados, instituições de ensino e outros locais de grande fluxo de pessoas começaram a disponibilizar o aparelho, e atualmente todo o país está adaptado a esta lei estadual aqui do Paraná, que serviu de modelo e mudou o rumo de como o problema envolvendo a morte súbita era visto até então, salvando vidas diariamente principalmente em atendimentos realizados pelo SAMU e o SIATE, que atendem todos os dias dezenas de pacientes com paradas cárdiorrespiratórias.

A ideia do projeto de lei, surgiu quando da morte em sequência de 3 jogadores de futebol profissional, que sofreram parada cardíaca em locais e países diferentes pelo fato de os palcos dos jogos não possuírem na época o aparelho de Ressuscitação Cárdio Pulmonar, mais conhecido como desfibrilador, fato que chocou o mundo no início de 2004. Depois da mudança em alguns itens do projeto, a lei ganhou o número 14.649 e segue  garantindo à população, o direito de um atendimento mais rápido e seguro quando da ocorrência da chamada parada cardíaca, um problema que afeta milhares de pessoas de todas as idades diariamente.

Reconhecido pela própria Agência de Notícias do Estado como sendo o primeiro projeto criado no país, implantando a obrigatoriedade do desfibrilador, o projeto foi elogiado inclusive pelo presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Nabil Gorayeb, uma das maiores autoridades em saúde cardíaca do Brasil, como um projeto dos mais relevantes criados no país, sendo um marco no atendimento emergencial de pacientes com problemas cardíacos.

Defesa da vida e da família merece destaque

O lançamento oficial na última sexta feira (28), da Frente Parlamentar em Defesa da Família e da Vida, que aconteceu no Plenarinho da Assembleia Legislativa, marca, na minha opinião uma data muito importante e uma iniciativa de extrema relevância na defesa da família e da própria vida como um todo.

A Frente que será coordenada pelo companheiro Gilson de Souza (PSC) está constituída inicialmente por 16 parlamentares com o objetivo principal de acompanhar e fiscalizar os programas e políticas públicas governamentais destinadas à proteção e garantia dos direitos à vida e da família que deverá ser um marco nesta luta por envolver todos os segmentos, principalmente evangélicos e católicos de várias denominações tendo como meta principal valorizar e fortalecer os laços familiares como aliás já aconteceu quando da votação e supressão da chamada “ Ideologia de Gênero” que inicialmente fazia parte do no Plano Estadual de Educação.

A atuação deste novo grupo pretende se inspirar na atuação de movimento que já existe na Câmara dos Deputados, e que propõe debates e a realização de seminários sobre as políticas públicas que são colocadas em prática e trazer esta experiência para o Paraná, debatendo questões importantíssimas e polêmicas como a questão da pedofilia e da violência doméstica um dos males que tem assolado e destruído nossa sociedade.

A Frente realizará também um forte trabalho junto às escolas a fim de acompanhar de perto o tipo de material didático que é oferecido aos alunos de nossas escolas públicas. Além da minha pessoa e do pastor Gilson de Souza, fazem parte desta empreitada as deputadas Mara Lima e Claudia Pereira, e ainda os deputados Guto Silva, Leonaldo Paranhos, Cláudio Palozi, Márcio Pacheco Missionário Ricardo Arruda, Wilmar Reichembach, Tião Medeiros Jonas Guimarães, Evandro Araújo, Hussein Bakri, Artagão Júnior e Felipe Francischini.

Foto: Pedro de Oliveira/Alep

Na tribuna, Edson Praczyk homenageia os 10 anos do PRB

Ocupei a tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira (25) para saudar os 10 anos de existência do Partido Republicano Brasileiro – PRB, data esta comemorada exatamente em 25 de agosto com motivos suficientes para exaltar o crescimento da sigla que deixou de ser um partido pequeno ou até chamado de ”nanico” de forma pejorativa, para se tornar um partido de médio para grande e com participação importante na vida dos brasileiros.

Apontado até por políticos de outras agremiações como um dos mais bem organizados do país, cresce rápido dentro de sua ideologia cristã, chama a atenção no momento em nível nacional pelas pré-candidaturas às prefeituras de São Paulo com Celso Russomanno e no Rio de Janeiro com Marcelo Crivella, ambos na liderança nas pesquisas até aqui realizadas.

Idealizado pelo saudoso ex-vice presidente da República José Alencar, surgiu em 16 de Dezembro de 2003 como PMR com apoio de 458 mil assinaturas, sendo registrado em 05 de Janeiro de 2004 e mudando para PRB em outubro de 2005 por proposição do próprio José Alencar, que sugeriu o nome de Partido Republicano, mas como já havia uma sigla com este nome, acrescentou “Brasileiro” defendendo a causa da política municipalista, mas com uma atuação muito mais ampla, voltada a toda a comunidade, atuando de forma direta na proteção dos anseios da comunidade.

Apesar de muito jovem, o PRB saltou nas últimas eleições de 8 para 20 deputados federais, 32 estaduais, 1 ministro e 1 senador além de 78 prefeitos, aumento de 42%, e 1204 vereadores, um crescimento de 55%, atestando um crescimento organizado e coerente, tanto em nível municipal, quanto em nível estadual e federal, o que será com certeza comprovado nas eleições de 2016 quando a meta do partido é pelo menos duplicar ou até quem sabe triplicar o número de vereadores, vice-prefeitos e prefeitos nas principais cidades do Paraná e do Brasil.

Por tudo aqui especificado, não poderia deixar passar em branco esta data tão importante para todos nós republicanos.

ASCOM Dep. Edson Praczyk

Dia do obreiro Universal, é comemorado na Assembléia

O plenário da Assembleia Legislativa do Paraná, esteve lotado na noite desta segunda-feira (17) para a sessão solene que comemorou o “Dia do Obreiro Universal” projeto de lei do deputado Edson Praczyk, aprovado no ano passado e que realizou neste ano sua primeira edição.

Além de homenagear centenas de obreiros, Praczyk também concedeu “Voto de Congratulações e Aplausos” ao pastor Denilson Alves Pimenta, da Igreja Universal do Reino de Deus num evento que contou com a presença do Bispo Fábio Santos representando a IURD, vereador Valdemir Soares, Capitão Perovano da Polícia Militar do Paraná, além do homenageado e centenas de obreiros, representando os mais de 5 mil que atuam em todo o Estado.

Em seu discurso de saudação, o deputado Praczyk falou sobre o inestimável trabalho voluntário prestado pelos obreiros, um exército incansável e que não poupa esforços para ajudar ao próximo, lembrando que também foi obreiro e este é o primeiro degrau da  hierarquia eclesiástica, e o trabalho realizado por eles merece todo reconhecimento e homenagem.

Para o Bispo Fábio Santos, o trabalho do obreiro está ligado a dor, pois eles sentem a dor e o sofrimento do próximo como se fossem seus,deixando de viver sua própria vida para ajudar aos outros, lutando contra forças contrárias, e ajudando pessoas marginalizadas atendendo a um chamado de Deus.

Ao receber o diploma com a homenagem, o pastor Denilson Pimenta falou que estava ali para representar “Almas Preciosas” servos de Deus e não apenas os evangélicos, mas todas as religiões, destacando que neste trabalho de ajuda a quem precisa é necessário deixar as diferenças de lado e que a colaboração de membros de outras religiões, seja ela qual for, seria muito bem vinda, pois o trabalho, especialmente nos presídios e nas ruas das cidades onde atuam os obreiros é muito difícil, e que na obra de Deus existe uma só bandeira, e quando há divergências entre as religiões quem perde é a pessoa necessitada e que espera por ajuda. Durante a solenidade, foi exibido um vídeo que mostra o trabalho dos obreiros, principalmente nos presídios e nas ruas das cidades.

Antes de sua fala, pastor Denilson recebeu das mãos do deputado pastor Edson Praczyk a placa em sua homenagem sendo bastante aplaudido por todos os presentes.

dia do obreiro

 

ASCOM PRB Paraná
Fotos: Derli Junior

Porque votei contra alguns itens do plano estadual de educação

Aconteceu na tarde da última quarta-feira (17) a votação do projeto de lei 377/15, de autoria do Poder Executivo, e que trata do Plano Estadual de Educação, e, aliás como já era previsto, a votação acabou provocando um grande debate entre favoráveis e contra o projeto, votado em plenário na Assembleia Legislativa.

Toda a polêmica se resumiu em torno das questões relativas à diversidade sexual, o que acabou na aprovação da constitucionalidade do projeto em primeira discussão, com 48 votos favoráveis, 1 abstenção e 3 votos contrários, entre eles o meu, por não concordar com a proposta originária que prevê a inclusão de alguns termos, entre eles “ideologia de gênero” e “diversidade sexual” e ser terminantemente contra essa estratégia, camuflada de uma pseudo “ferramenta” contra a discriminação aos homossexuais.

As galerias da Assembleia lotadas de pessoas da comunidade mostra bem o quanto a proposta é polêmica nessa questão, e por isso antes da sua votação em segunda discussão, acabou recebendo nada menos que 66 emendas de autoria de diversos deputados, e retornará à Comissão de Constituição e Justiça da Casa, devendo voltar para a votação em plenário na próxima semana, quando será discutido e votado o mérito do projeto.

O mesmo ponto defendido por mim, foi também defendido por outros parlamentares que não concordam com os termos propostos e querem a retirada dos mesmos, especialmente o que fala em “ ideologia de gênero”, e também suprimindo do texto original a expressão LGTB, e algumas outras citações que poderão fazer parte do material pedagógico que será produzido e distribuído às escolas.

Reconheço a importância da votação e aprovação do Plano Estadual de Educação, mas só votarei favorável ao projeto, caso essas expressões sejam removidas do texto original, pois defendo e sempre defenderei de forma incondicional a família, e tenho a plena certeza de que são os pais que devem passar certos ensinamentos aos filhos e não as escolas. Por isso votei contra e espero que mudanças sejam feitas para, aí sim a proposta voltar ao plenário e poder receber o meu voto e também de outros parlamentares que comungam do mesmo pensamento.

Edson Praczyk – deputado estadual do PRB/PR