O polêmico salário dos vereadores

Sinceramente, acho uma grande besteira e totalmente sem sentido essa polêmica criada em torno dos salários dos vereadores que começou com a manifestação de uma senhora em Santo Antônio da Platina, no norte pioneiro e se alastra com uma velocidade impressionante aqui no Paraná.

Em várias cidades do interior do Estado, movimentos foram criados no sentido de pressionar os vereadores a reduzirem seus salários, diminuindo em muito ou até quase nada os seus vencimentos, na minha opinião uma atitude sem sentido por parte dos manifestantes, pois os senhores edis foram eleitos pela população de suas cidades e com os salários pré- determinados o que deveria ser de conhecimento de quem votou.

Neste momento triste que o país atravessa com uma corrupção e roubalheira nunca antes vistas, pergunto porque a população ao invés de se preocupar com o salários dos vereadores eleitos por ela mesma não se rebela contra a corrupção, contra os centenas de políticos e empresários que ficaram bilionários às custas do roubo do dinheiro público, com alguns poucos deles presos, e a grande maioria por aí, solta e usufruindo de tudo que roubou.

Por que a comunidade unida, não se rebela contra as péssimas condições do atendimento na saúde pública, o transporte coletivo cada vez pior, a falta de moradia digna, os baixos salários pagos para algumas categorias e o desrespeito de que somos vítimas todos os dias por não termos nosso direito de cidadão respeitados.

Concordo que em alguns municípios possam os salários terem um peso maior pelo tamanho do município e pelo número reduzido de sessões que as Câmaras Municipais realizam semanalmente, mas aqui mesmo em Curitiba e no Paraná, devem existir milhares de servidores públicos que ganham infinitamente mais que um vereador, e contra isso porque a população não se revolta?

Não tenho procuração nenhuma para defender os vereadores mas acho que no momento, existem coisas muito mais sérias para que nos preocupemos do que com os salários de quem foi eleito pelo voto popular.

Antônio Carlos Ribas
Jornalista
foto: CMC/divulgação

Bons e maus políticos

Analisando os últimos lances da “Operação Lava Jato” e a recente prisão do ex-ministro José Dirceu, me lembrei das palavras que são ditas pelo Fábio Santos, presidente estadual do nosso PRB, sobre a importância do cidadão de bem participar da política pois as pessoas de bem querem a boa política, a política honesta com retidão e voltada para o bem da comunidade como um todo.

Principalmente nos dias atuais com toda a roubalheira, corrupção e a falta de vergonha na cara de muitos políticos, a população que já não aguentava mais ouvir falar sobre política, agora então não quer nem ver esta figura pela frente, e aí é que entra justamente o que o presidente tem falado, pois se os bons, as pessoas de bem e de caráter não assumirem seu papel de atuar no dia a dia e defender a população, isso acaba se tornando um prato cheio exatamente para os maus políticos, os políticos de carreira, os corruptos, mal – feitores e ladrões do dinheiro público.

O que todos nós devemos ter consciência é que, enquanto cidadãos temos o direito de cobrar os maus políticos, valorizar mais o nosso sagrado direito de votar e perceber a nossa importância dentro do contexto, pois muita gente que critica a classe política, nem lembra em quem votou nas últimas eleições e nunca parou para verificar se o seu representante está fazendo alguma coisa pela comunidade.

Como em todos os setores da vida, assim como existem maus médicos, maus policiais, maus advogados, maus jornalistas e por aí afora, também existem bons e maus políticos, pois caráter honestidade e zelo com a coisa pública são parte do perfil de muitas pessoas que estão na política e fazem seu papel de forma correta.

É claro que com tantos escândalos e uma roubalheira jamais vista na história de mais de 500 anos do nosso Brasil, fica difícil tentar achar alguma coisa positiva neste mundo da política, mas se você ficar apenas lamentando, criticando e não fizer seu papel na sociedade principalmente cobrando seus direitos, a coisa com certeza será e ficará muito pior.

Antônio Carlos Ribas
Jornalista